Palácio da Alvorada

Palácio da Alvorada – Modelo 3D

O Palácio da Alvorada é um edifício localizado em Brasília, Distrito Federal, no Brasil. O palácio é designado como a residência oficial do presidente da República Federativa do Brasil. Situa-se às margens do lago Paranoá, tendo sido o primeiro edifício inaugurado na Capital Federal, em 30 de junho de 1958.

Embora o presidente da República Federativa do Brasil tenha no Palácio da Alvorada suas dependências para estudos e leituras, além de lá pernoitar, o gabinete presidencial está situado no Palácio do Planalto (oficialmente Palácio dos Despachos), onde o mandatário da nação realmente recebe autoridades, despacha e cumpre seus deveres de Chefe de Estado e de Governo.

História e arquitetura

Projetado por Oscar Niemeyer, o Alvorada tornou-se um dos ícones da arquitetura moderna brasileira e de sua peculiaridade em relação ao movimento moderno europeu. Também foi símbolo do progresso cultural e técnico do Brasil durante a década de 1950, momento em que o país vivia uma profusão cultural singular, caracterizado entre outras coisas pela bossa nova, pela arquitetura moderna e pela arte concreta.

O formato diferenciado dos pilares externos da edificação deu origem ao símbolo e emblema da cidade, presente no brasão do Distrito Federal. Tal formato foi, inclusive, largamente copiado em construções populares em todo o país, o que o tornou eventualmente sinônimo de uma estética kitsch quando aplicado em outros contextos.

A construção de Niemeyer foi batizada por Juscelino Kubitschek e, quando questionado sobre o porquê do nome “Alvorada”, o então presidente da república respondeu com outra questão: “Que é Brasília, senão a alvorada de um novo dia para o Brasil?”. É dito que Juscelino recusou o primeiro projeto feito por Niemeyer, por “falta de monumentalidade”, e pediu que o arquiteto refizesse os traços para construir um palácio “que daqui a cem anos ainda seja admirado”.

O Alvorada é uma construção revestida de mármore e vedada por cortinas de vidro, cuja estrutura é constituída externamente dos já citados pilares brancos. Desta forma, o vidro proporciona uma certa integração entre espaço interior e exterior. Já as famosas colunas apoiam-se no chão por um de seus vértices fazendo, aparentemente, desaparecer a ideia de peso – como que pousando o edifício no solo de Brasília. O trabalho com a curva neste e em outros edifícios de Brasília fez com que a obra de Niemeyer fosse apelidada eventualmente de barroca.

O espelho d’água, que reflete a imagem do edifício, criando um espaço virtual infinito, é complementado por um grupo escultórico, as banhistas de Alfredo Ceschiatti, que parece flutuar à superfície da água, em uma materialidade que, segundo apontam críticos da arquitetura, parece fazer desaparecer a gravidade.

Ambientes

O Palácio da Alvorada é uma construção em três pavimentos. A laje do piso térreo localiza-se brevemente elevada em relação ao solo exterior, em nível coincidente com os setores de maior dimensão horizontal dos pilares externos, e é neste piso que se encontram os setores sociais do palácio e os salões utilizados pela presidência em eventos e solenidades.

Pela elevação do piso térreo, o subsolo recebe ainda ventilação natural e insolação. Nele localizam-se os ambientes de serviços (como cozinha e almoxarifados) e os cômodos e dormitórios dos funcionários. Já no primeiro andar se encontra o setor efetivamente residencial do palácio, no qual se localizam os ambientes privados usados pela família do presidente.




Não há comentários

Adicione o seu