A importância do aleitamento materno

A importância do aleitamento materno

“Se fosse disponibilizada uma vacina que pudesse prevenir a morte de um milhão de crianças ou mais por ano e que, além disso, fosse barata, segura, de administração oral e não exigisse uma cadeia de frio, este se tornaria uma prioridade imediata de saúde pública. A amamentação pode fazer tudo isso e mais ainda, mas precisa de uma cadeia quente de apoios, ou seja, cuidados profissionalizados que permitam às mães ganhar confiança e lhes mostrem o que fazer e as protejam de más práticas” (Lancet, 1994).

Esta citação publicada na revista inglesa The Lancet, 1994, mostra perfeitamente que amamentar é muito mais que apenas alimentar o bebê.

Ouve-se falar muito sobre as vantagens que o aleitamento materno traz, mas o que especificamente ele faz, muitos ainda não sabem. A Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade, não sendo necessária nem a inclusão de água, mesmo em dias muito quentes, pois o leite materno é completo. Ele contém todas as proteínas, açúcar, gordura, vitaminas e água que o seu bebê necessita para crescer saudável. Além disso, o leite humano contém elementos protetores e responsáveis pela formação do sistema imunológico, como anticorpos e as imunoglobulinas, ausentes nos leites de vaca e nos leites processados (em pó). Apenas a partir dos seis meses de idade que a criança deve receber alimentos complementares (papas, sopas, etc) gradativamente, mas ainda assim, manter o aleitamento materno, por pelo menos até os dois anos de idade.

Porém, nos dias de hoje, há um grande número de mulheres que trabalham fora de casa, e elas precisam voltar a trabalhar antes que o bebê complete seis meses de vida, atribuindo na rotina de seu filho, as fórmulas infantis. Muitas vezes, a mãe gostaria de amamentar seu filho por mais tempo, mas não tem apoio da família ou da sociedade. O que muitas não sabem, é que ao procurar um profissional da área, estes podem ajudá-las a esclarecer como lidar com a situação e resolver o problema da melhor forma possível, podendo muitas vezes continuar dando o seu leite, mesmo não estando presente.

O leite materno melhora o desenvolvimento mental do bebê, previne infecções gastrintestinais, respiratórias e urinárias, têm um efeito protetor sobre as alergias, além de ajudar a criança a ser menos susceptível a ter obesidade, problemas futuros de intestino, entre outras doenças.

Mas as mães ganham muita vantagem também ao amamentar. Além de ajudar a queimar calorias, fazendo com que seu peso pré gestacional volte mais rapidamente, ajuda também o útero regressar ao seu tamanho normal mais rápido. Entre outros inúmeros benefícios como prevenir câncer de mama e de ovário, previne também a osteoporose e a anemia. Sem contar no custo benefício, que é zero e no vínculo afetivo que a mãe cria com seu filho.

E mamães que retiram seu leite para darem para o seu filho, atenção: o seu leite da manhã não deve ser dado à noite e o leite da noite não deve ser dado de manhã. A mãe vai fazendo o leite conforme passar o dia. O leite da manhã é feito para seu bebê ficar acordado e o da noite para ele dormir. Se o leite da manhã é dado para o seu filho a noite, ele vai ficar acordado a noite e vice versa.

Profissionais de saúde, vamos incentivar mais o aleitamento materno. E mães, priorizem o bem estar de seu filho amamentando-o. Em caso de dúvidas, consulte um profissional adequado.




Não há comentários

Adicione o seu