Nutrição e Candidíase – Uma relação íntima

Nutrição e Candidíase – Uma relação íntima

Acredito que muitas meninas aqui já tiveram uma crise de cândida, pois 75% da população já teve ao menos um episódio desse mal, por isso vim aqui para tirar algumas dúvidas mulherada! A cândida é caracterizada por uma infecção causada por fungo (a que afeta de 80 a 90% dos casos é a Candida albicans), e por incrível que pareça, este é um dos problemas femininos mais comuns que existem! As condições que favorecem a proliferação fúngica, associada à ação de substâncias produzidas pela fermentação de alimentos para sobrevivência dos fungos, podem gerar inúmeros sintomas no nosso organismo.

Especialistas denominam: “a candidíase é caracterizada por corrimento branco, às vezes, amarelado, grumoso, inodoro e com aspecto caseoso (leite coalhado), levemente aderido à parede vaginal acompanhada de prurido vulvovaginal (coceira). Pode ocorrer ardor ou dor ao urinar, dor nas relações sexuais, hiperemia, edema e fissuras”.

Nosso organismo possui bactérias boas e ruins (patogênicas), além de fungos e comensais. Mas o que difere se isso nos fará bem ou não, é o equilíbrio. O desequilíbrio entre esses microrganismos gera um processo chamado ‘disbiose’, é aí que a nutrição entra.

As bactérias probióticas (boas) competem com as patogênicas e com os fungos por locais de fixação nas mucosas e pelos nutrientes, por isso que para evitar a candidíase de repetição, é necessária a intervenção para tratar a disbiose intestinal.

Alguns fatores podem influenciar no desencadeamento dessa doença, como por exemplo: 

  • O estresse (causando imunossupressão – baixa imunidade);
  • Uso de antibióticos, laxantes, anticoncepcionais, antiácidos e corticoides (por alterar a microbiota intestinal e gerar desequilíbrios nutricionais);
  • Erros alimentares – consumo regular de açúcar e carboidrato simples, entre outros erros. Destacando que o açúcar é o principal alimento dos fungos;
  • Baixo consumo de frutas e verduras, grãos integrais e outros alimentos saudáveis (por gerar a disbiose);
  • Outras causas.

Uma vez feito o diagnóstico de candidíase de repetição é importante descobrir a causa do problema, para agir corretamente e conseguir sumir de vez com este incômodo. Um médico juntamente com um nutricionista poderá te ajudar.

A nutrição irá auxiliar no tratamento da cândida através de suplementos com atividade antifúngica (óleo de orégano, entre outros), suplementos para tratamento da disbiose (probióticos e prebióticos), imunomoduladores (substâncias que atuam no sistema imunológico), antioxidantes, chás com ervas antifúngicas, entre outras coisas que só um nutricionista poderá prescrever.

Lembrem-se, apesar de a cândida ser algo ‘normal’ e mesmo que seja necessária a utilização de medicamentos e/ou fitoterápicos, somente com o resgate de bons hábitos e comportamento alimentar, poderá ocorrer uma modificação dos fatores que facilitam a proliferação fúngica e modulam o sistema imunológico, mantendo os fungos sob controle. Mas não se desesperem! O tratamento é algo fácil e indolor. Procure um ginecologista e um nutricionista para que o tratamento seja mais eficaz!




Não há comentários

Adicione o seu