10 Histórias Horríveis de Canibalismo

Histórias Horríveis de Canibalismo

Na maior parte do mundo e durante grande parte da história, o ato de comer outro ser humano para o sustento foi totalmente desaprovado. Mesmo assim, saiba que isto aconteceu muito mais do que você imagina. Aqui estão dez dos exemplos históricos mais terríveis de casos de canibalismo humano no mundo:

10. Partido Donner

Partido Donner

Partido Donner

O partido Donner foi um grupo de oitenta e sete pioneiros americanos que, durante a sua viagem pela América, ficou preso na neve. No momento em que a ajuda chegou para resgatá-los, apenas quarenta e oito dos oitenta e sete aventureiros permaneciam vivos, levando a inúmeras perguntas sobre exatamente o que tinha acontecido com o restante do grupo.

Leia Também:

☞ Métodos de Sacrifício Humano

☞ Serial Killers Dementes Recentemente Capturados

☞ Armas de Fogo mais Populares

☞ Filmes Banidos

É agora aceito o fato que alguns membros do partido Donner, dirigido ao desespero pela falta de comida, eventualmente, recorreram ao consumo da carne daqueles que já haviam morrido. Em entrevistas realizadas com os sobreviventes logo após o resgate, o canibalismo foi mencionado várias vezes. Mas por alguma razão, essas informações foram veementemente negadas posteriormente, o que levou diversos arqueólogos ao local para descobrir a verdade. Diversos ossos e corpos marcados com dentes humanos foram encontrados.

9. Regina v. Dudley and Stephens

Regina v. Dudley and Stephens

Regina v. Dudley and Stephens

O caso de Dudley and Stephens é um caso britânico que marcou o ano de 1884, e é ainda hoje estudado como exemplo de direito comum e defesa legal de “necessidade”.

Basicamente, quatro marinheiros ficaram presos no mar, sem comida ou água. Dudley and Stephens propôs então que para alguns deles sobreviverem, alguém precisava ser sacrificado para o bem maior. Como não houve grandes questionamentos, eles acabaram assassinando o grumete (que assumidamente já estava em coma) e alimentando-se dele. Quando o resgate chegou, os homens argumentam que eles cometeram o assassinato para evitar a fome. Os tribunais não concordaram, e os condenaram ao enforcamento. Quando eles perceberam que isso parecia um pouco duro – uma vez que, apesar de tudo, os homens tinham apenas roubado durante uns dezessete anos de sua vida – acabaram alterando a pena e os condenando a seis meses de prisão.

8. As Cruzadas

As Cruzadas

As Cruzadas

As Cruzadas cortaram toda a Ásia como uma faca feita das lágrimas de Deus, e deixou milhares de mortos por onde passou. Mas tais enormes exércitos não podiam abastecer-se no amor de Deus por si só, e por isso quando os suprimentos começaram a ficar escassos, ambos os lados pensaram que não haveria nada demais em comer a carne dos homens que eles tinham acabado de matar.

Embora o canibalismo fosse provavelmente motivado pela necessidade, também é observado que isso servia para desmotivar o inimigo. Porque, pense bem, como você irá lutar contra um inimigo que se alimenta da carne dos seus companheiros?

7. A Dinastia Tang

A Dinastia Tang

A Dinastia Tang

A dinastia Tang, na história da China, é muito extensa para ser explicada nesta lista, por isso vamos nos concentrar em um aspecto curioso: a vingança canibal.

Sim, a “vingança canibal” era real; moradores irritados, às vezes, batiam em funcionários corruptos até a morte e comiam sua carne. Também não era incomum ver criminosos sendo punidos e tendo o seu coração arrancado, puramente, de modo que a pessoa responsável por supervisioná-lo poderia comer um pequeno pedaço dele.

6. Leningrado

Leningrado

Leningrado

É seguro dizer que o cerco a Leningrado testou os limites da raça humana. Comida era tão escassa que os cidadãos removiam o papel de parede das paredes, a fim de raspar e comer a cola que o mantinha no lugar.

Com praticamente nenhuma comida em qualquer lugar restante na cidade, o canibalismo não apenas torna-se uma opção, tornou-se um modo de vida. Era tão desenfreado que a polícia teve que criar uma força-tarefa para combatê-lo (crime de canibalismo), e os pais não deixavam seus filhos saírem de casa devido ao medo de que as pessoas os matassem e comessem. Corpos parcialmente devorados enchiam as ruas.

5. Os Japoneses na Segunda Guerra Mundial

Os Japoneses na Segunda Guerra Mundial

Os Japoneses na Segunda Guerra Mundial

Enquanto cidadãos soviéticos estavam sendo obrigados a comer seus semelhantes em Leningrado, soldados japoneses em todo o mundo estavam fazendo essencialmente a mesma coisa. A única diferença era que eles não faziam simplesmente porque estavam com fome.

Vítimas (invariavelmente prisioneiros de guerra) eram friamente assassinadas, e seus corpos, então, completamente despojado de toda a carne de consumo (geralmente deixando apenas suas mãos e pés intocados). Mas nem sempre as coisas ocorriam desta forma, algumas vítimas infelizes tiveram a carne arrancada de seus braços e pernas, enquanto ainda estavam vivos, depois disso eram jogados em covas para morrer. Mas aqui está a pior parte: alguns soldados e oficiais japoneses não realizavam este ato devido ao desespero ou induzidos pela falta de alimento, faziam tudo isso apenas pela maldade.

4. A Fome Ucraniana de 1932

A Fome Ucraniana de 1932

A Fome Ucraniana de 1932

Acredita-se que esta fome tenha sido quase que inteiramente causada pelo homem. Em 1932, praticamente todos os alimentos produzidos por agricultores ucranianos foram tomados à força pela URSS, deixando milhões sem sustento, a grande maioria simplesmente morreu de fome.

Um ponto que não está claro é quantos cidadãos ucranianos recorreram ao canibalismo humano devido ao desespero pela falta de alimento. Certa história nos fala de um homem que matou sua esposa e calmamente cozinhou seu corpo em uma panela, enquanto outros falam de crianças e bebês que foram comidos vivos por suas próprias famílias, e tudo isso ocorreu enquanto o rosto sorridente e jovial de Joseph Stalin (Josef Vissarionovitch Stalin) estava sendo transmitido ao redor de todo o mundo.

3. A Fome Chinesa de 1959

A Fome Chinesa de 1959

A Fome Chinesa de 1959

O presidente Mao (Mao Tse-tung) do “Grande Salto Adiante” praticamente ferrou metade da China, uma vez que deixou milhões de pessoas no país sem alimentos – e isso, assim como você já leu e viu nessa lista nunca é uma coisa boa -.

Conforme detalhado no livro Hungry Ghosts, para algumas pessoas a falta de comida era simplesmente muito, muito difícil de suportar, e o canibalismo tornou-se a única opção. Não demorou muito para que a carne humana conquistasse o mercado, havia inclusive histórias de pais que trocavam seus filhos com outras pessoas. Por quê? Para que eles não fossem sobrecarregados com o pecado de comer seus próprios filhos. Mesmo assim, ainda estavam os condenando a morte (se bem que assassinar outra pessoa deve ter sido muito mais fácil em sua consciência do que o filho).

2. Ataque a São Francisco

Ataque a São Francisco

Ataque a São Francisco

A vila de São Francisco, no Canadá, foi invadida na segunda metade de 1759 durante a Guerra Franco-Indígena. Apesar de não ser um detalhe comumente conhecido da história, o ataque realizado por Robert Rogers e seus homens pode ser considerado um dos mais violentos e brutais da história.

Robert Rogers e os invasores raivosos saquearam a vila, antes de escalpelarem e matarem os prisioneiros que eles haviam feito.

Mas toda esta matança trouxe consequências para os homens de Rogers, a fome intensa dos soldados originou a festa da carne crua dos recém-mortos. Após a batalha, um soldado comentou que depois do que haviam feito, ele e seus companheiros rangers, “quase não mereciam o nome de seres humanos”.

1. O Cerco de Ma’Arra e Antioquia

O Cerco de Ma'Arra e Antioquia

O Cerco de Ma’Arra e Antioquia

Embora esta lista já fale sobre As Cruzadas, abaixo segue uma descrição de dois dos cercos mais famosos. Saiba o porquê:

As tropas cristãs esfomeadas, enlouquecidos pela falta de alimento durante o cerco, teriam supostamente cortado pedaços das nádegas de seus oponentes mortos antes de fritá-los. Às vezes, na pressa de literalmente comer a bunda de seu inimigo, eles acabavam consumindo carne mal cozida e ficando muito doente. Em outras histórias especula-se que os cruzados ferviam adultos vivos e faziam até mesmo crianças assadas no espeto, porque quando Deus está do seu lado, você pode fazer o que quiser sem consequências, aparentemente.


» Gostou deste conteúdo? Então não se esqueça de ajudar a divulga-lo e compartilha-lo nas redes sociais – através dos botões abaixo – com seus amigos, conhecidos, familiares… Pois desta forma você estará nos incentivando a produzir e buscar cada vez mais conteúdos interessantes, e contribuindo para que outras pessoas conheçam o nosso trabalho.

Este botão ❤ (coração) serve para ajudar a ranquear os posts – dentro do próprio site. Ao clicar sobre ele você ajudará a indicar para os futuros leitores e visitantes quais conteúdos são mais interessantes.

✎ Não esqueça também de deixar um comentário sobre o post, seja ele uma crítica, sugestão ou elogio. Consideramos a opinião do leitor extremamente importante, por isso levamos em consideração todo e qualquer comentário feito sobre o conteúdo.




4 comentários

Adicione o seu
  1. Isabela

    Pela última frase, do último tópico: tais pessoas nem sequer conheceram a Deus de verdade. Eles pensavam que faziam por Deus, como muitos hoje insistem em colocar o nome Dele no meio de tais barbaridades, quando na verdade o certo seria dizer RELIGIÃO ou FANATISMO!


Postar um novo comentário