Série TOP 10 #21 – Coisas que a China inventou primeiro

Coisas que a China inventou primeiro – Série TOP 10 #21

China é mundialmente conhecida por produzir cópia de produtos, desde roupas até equipamentos eletrônicos. Muitas destas réplicas são tão perfeitas que é necessária a análise de um grupo de especialistas para poder diferenciar o original da réplica. É óbvio que a China tem muitas coisas boas e originais, o país não vive só de cópias. A série abaixo mostra que os chineses, ao contrário do que muitos pensam, foram pioneiros em muitas ideias ao longo da história, e estas hoje em dia, além de serem extremamente importantes, são utilizadas no mundo todo. Veja:

10. Emissão do dinheiro de papel pelo Governo

Emissão do dinheiro de papel pelo Governo

O dinheiro de papel foi introduzido pela primeira vez no século sete, como forma de evitar que comerciantes ricos transportassem grandes quantidades de moedas pesadas de cobre. As notas iniciais eram essencialmente boletos bancários disponibilizados com a quantidade que o comerciante solicitava, em forma de recibos de depósito. Inicialmente sua utilização era feita apenas por quem possuía muitas riquezas, porém, eventualmente, elas circularam pela dinastia Song, no período em que houve uma escassez de moedas de cobre. Nesta época eram chamadas de “jiaozi”. Estas notas não substituíam as moedas de cobre. Elas foram organizadas por região (em vez de ser uma moeda nacional) e funcionavam mais como notas de crédito com um limite de tempo. A moeda nacional somente foi introduzida no século onze usando outra forma de impressão originalmente chinesa, a xilogravura.

9. Impressão

Impressão

Os chineses desenvolveram inicialmente dois tipos de impressão: a impressão através da xilogravura e a tipo móvel. A Impressão por xilogravura é criada através de textos ou desenhos de caracteres que ficam talhados em um bloco de madeira, os relevos na superfície são cobertos com corante, e a impressão é feita em tecido ou papel. O exemplo mais antigo existente de impressão através da xilogravura é em um pedaço de papel de cânhamo, que data de cerca de 660 d.C. Foi também o método escolhido para criar o mais antigo livro impresso, o Sutra do Diamante, estampado em 868 d.C., durante a dinastia Tang.

O outro tipo de impressão é de composição antecessora, chamada tipo móvel. Ao todo, o processo de elaboração e realização do projeto levou 630 anos. Começou com uma teoria desenvolvida pelo cientista chinês Shen Kuo durante a Dinastia Song, em 1088 d.C. A teoria não foi posta em prática até 1298 d.C, quando o oficial Wang Zhen da Dinastia Yuan criou um modelo de organização dos caracteres através de um esquema de rimas em uma mesa redonda. Em 1490, Hua Sui aperfeiçoou o modelo, colocando os caracteres em blocos de bronze, em vez de madeira ou de barro. O último ajuste foi feito em 1718, quando foi inserida a porcelana esmaltada.

8. Papel

Papel

Para realizar uma impressão é necessário que se tenha papel, ou algum outro tipo de material que sirva para este propósito. O papel de celulose se tornou popular porque era mais barato e mais rápido de produzir do que outros materiais, tais como a seda, tiras de bambu, ou tábuas de argila. Há evidências que indicam que a produção da celulose teve origem no século 2 a.C. Em 105 d.C., um tribunal Han eunuco nomeado Cai Lun melhorou o processo (frequentemente apontado como o inventor do papel). Neste processo foi colocado casca de árvore esmagada, cânhamo, linho e redes de pesca. Após isso se adicionou água, até o ponto em que a estrutura de madeira, com uma peneira de ervas daninha entrelaçadas, estivesse totalmente imersa. A mistura, depois de peneirada, foi colocada em um quadro e então pendurada para secar e branquear a luz do sol.

7. Pólvora

Pólvora

A invenção da pólvora foi realizada acidentalmente por alquimistas chineses no século nove. Uma de suas primeiras utilizações fora do laboratório foi na fabricação de fogos de artifício, que foram usados para afastar os maus espíritos a partir do século dez. No entanto, desde 1044 vem sendo utilizada como componente destrutivo e explosivo. Foi originalmente usada em lança-chamas e em flechas incendiárias. As primeiras armas de fogo começaram a aparecer somente no século treze, e foram muito usadas pelos mongóis em suas façanhas. A primeira fórmula registrada para a pólvora era relativamente inofensiva, pois não foi capaz de explodir, mas ainda assim ara muito inflamável. Por volta do século quinze, porém, eles conseguiram aperfeiçoar seis fórmulas da pólvora, algumas com até 91% de nitrato, o produto químico que faz com que a pólvora faça o famoso “BOOM”.

6. Bússola

Bússola

As bússolas de ferro foram criadas durante a Dinastia Han, e não foram utilizadas para navegação. Na verdade, elas eram usadas para adivinhar o futuro dentro de grandes tigelas. Uma bússola thermoremanence, que utiliza um objeto de metal aquecido em água para produzir uma força magnética, foi documentada em 1044. Havia também o Sul Apontando Chariot, por volta do século 3 d.C., que era uma figura em uma carruagem que sempre apontava para o sul, originalmente sem a utilização de ímãs. Essa bússola era operada por um diferenciado sistema de engrenagem, sistema este que pode ser encontrado nos carros de hoje. Shen Kuo foi capaz de descrever a declinação magnética e a utilização de uma bússola com agulha magnética em 1088, enquanto Zhu Yu configurou a bússola para identificar o verdadeiro norte naval em 1119.

5. Caixões, caixões de barco, urnas

Caixões, caixões de barco, urnas

Os antigos chineses parecem ter sido um dos primeiros que estavam preocupados com a forma de enterrar seus mortos. A ênfase chinesa em mostrar respeito pelos mais velhos e antepassados por cuidar de seu próprio corpo (que deram a você a vida), foi tão importante quanto mostrar respeito por eles após a morte. Provas dos primeiros caixões e urnas foram encontradas na China. O mais antigo caixão é datado em torno de 5000 a.C. e tem em seu interior uma menina de quatro anos de idade. A espessura de um caixão e o número de caixões eram reflexos de riqueza ou nobreza. Além disso, os primeiros caixões árvores, conhecidos como tronco, ou caixões de barco, eram da cultura Songze e da cultura Dawenkou, datas registradas entre 4000-3000 a.C. e 4100-2600 d.C., respectivamente.

4. Garfo e pauzinho

Garfo e pauzinho

Muitas pessoas frequentam restaurantes asiáticos e tentam comer com os pauzinhos tradicionais, que seria realmente mais tradicional do que usar o garfo que eles fornecem aos seus clientes. Garfos de ossos foram descobertos em vários cemitérios que datam da dinastia Xia, que estava no poder de 4205-1760 a.C.. Os europeus começariam a usar garfos somente cerca de 4000 anos mais tarde. Garfo era uma ferramenta de jantar exclusiva para a classe dominante, e tinham de duas a três formas diferentes, como hoje em dia. No entanto, devido à natureza dos costumes alimentares chineses, tornou-se popular a utilização de pauzinhos, além de ser muito mais fácil de encontrar. Como a cultura chinesa não permite que carnes assemelhem-se a sua forma de estar, ela já era devidamente cortada em pedaços pequenos. Além disso, a natureza comum dos hábitos alimentares chineses fez dos pauzinhos uma ferramenta fácil de manobrar. Não só isso, o pauzinho poderia pegar ou dividir praticamente qualquer prato culinário que fosse apresentado, assim, fazendo lhe um utensílio muito mais eficaz do que o garfo.

3. Saúde holística

Saúde holística

A medicina chinesa foi, em alguns aspectos, fundamental para a saúde na época, como por exemplo, a boa saúde através de uma dieta adequada. No século quatro, a corte real tinha nutricionistas para orientar a família no caminho para uma alimentação saudável. Na dinastia Han, Zhang Zhongjing descobriu, através de diversas tentativas e muitos erros, que determinados alimentos resolveriam problemas relacionados à saúde precária. O nutricionista imperial Hu Sihui publicou um livro com estudos similares em 1330, que reuniu informações sobre dietas saudáveis que datam do século três.

Eles não foram apenas defensores de uma dieta saudável, foram também os primeiros endocrinologistas, o que significa que eles sabiam como resolver problemas relacionados a desequilíbrios hormonais antes de todo mundo. Em 1110 a.C., eles foram capazes de extrair os hormônios sexuais da urina usando gesso e sabonete natural a base de saponina. Poderiam então usar esses hormônios extraídos para tratar uma ampla variedade de problemas de hormônios sexuais, de disfunção erétil até cólicas menstruais (dismenorréia).

2. Menu de restaurante

Menu de restaurante

A China possuía amplas regiões povoadas que negociavam produtos entre si, nestas pequenas comunidades, comerciantes famintos que vinham de fora encontravam uma grande variedade de alimentos, porém não estavam familiarizados com a maioria deles. Foi assim que o menu nasceu, da ideia de criar um guia para os comerciantes e viajantes estrangeiros famintos. Os menus eram encontrados sempre nos locais onde as comidas eram vendidas: templos, bordéis, teatros, casas de chá, bem como barracas de comidas típicas e restaurantes.

1. Papel higiênico

Papel higiênico

Sua primeira menção oficial é de Yan Zhitui em 589 a.C., novamente porque os chineses estavam à frente do jogo quando o assunto era fabricação de papel. Sua finalidade é relatada claramente por um visitante árabe em 851 d.C., que observou que os chineses limpavam-se com papel, enquanto o resto do mundo estava usando água, as mãos, aparas de madeira, rendas, ou a sempre popular esponja romana “em uma vara de madeira.” Os chineses elevaram ainda mais a qualidade do produto quando começaram a fazer papéis higiênicos perfumados para a família real em 1393. (A arte acima não representa o papel higiênico antigo).

This list provided by TopTenz.net

Adaptação / Tradução autorizada por TopTenz.net




Não há comentários

Adicione o seu