Série TOP 10 #27 – Cenas de filmes assustadoramente perturbadoras

Cenas de filmes assustadoramente perturbadoras – Série TOP 10 #27

Esta lista é dedicada a cenas específicas, que vistas por si só são perturbadoras para assistir. Esta lista não tem a pretensão de destacar as cenas mais sangrentas ou repugnantes (por exemplo, terrores escatológicos de 120 Dias de Sodoma), mas sim, cenas que, devido ao seu conteúdo ou assunto são as mais psicologicamente perturbadoras. Nem todos os filmes serão tradicionalmente identificados como “horror”. Embora alguns diretores tenham uma série de momentos de filmes perturbadores, a lista é limitada a apenas um filme por diretor. A ordem dos filmes não segue nenhum critério específico.

Observe que:

1. A lista a seguir contém spoilers. Não leia se você não quiser saber detalhes da trama desses filmes.

2. Caso não tenha ficado claro, os clipes de vídeo mostram conteúdo perturbador, portanto assista com cautela.

3. Listas de filmes são sempre subjetivas, por isso tenha em mente que essa lista de forma alguma é definitiva. Sinta-se livre para comentar e expor suas próprias seleções.

10. Cidade dos Sonhos

Diane aterrorizada por idosos

Cidade dos Sonhos

Descrever o enredo de um filme de David Lynch é sempre um desafio, mas vagamente, Cidade dos Sonhos segue a problemática relação romântica de duas atrizes. Na cena final, Diane (Naomi Watts) é perseguida em seu quarto, onde ela posteriormente comete suicídio, por um casal ameaçador de idosos, sem motivo aparente. Marido e mulher foram introduzidos no início do filme como um casal feliz e benevolente. A cena é perturbadora por uma série de razões. Um: os velhos entram em seu apartamento como versões miniaturizadas por debaixo de sua porta da frente. Eles são claramente frutos da sua imaginação, no entanto são terríveis. Dois: as expressões exageradas dos idosos. Eles sorriem loucamente. Qualquer um que esteja familiarizado com David Lynch sabe que seus filmes estão cheios de coisas perturbadoras, mas esta foi à cena escolhida. Se você procurar na internet encontrará uma infinidade de sites dedicados à análise de sua arte, mas, independentemente de quaisquer interpretações, esta é uma cena esquisita. A cena completa não está disponível on-line.

9. Através de um Espelho

Colapso mental de Karin

Neste aclamado filme clássico do diretor sueco Ingmar Bergman, a personagem Karin (Harriet Andersen) sofre de esquizofrenia que a leva a acreditar que as pessoas estão falando com ela através da parede do sótão. Ela afirma que as pessoas estão esperando a vinda de Deus, que irá entrar pela porta do armário. O filme dá dicas durante a trama da gravidade dos delírios de Karin, mas é nesta cena que o público é capaz de ver toda a extensão de sua loucura. Na cena chocante, Karin corre para falar com as “vozes”, estas informam que a hora chegou e que Deus está vindo. Enquanto espera, as vibrações de um helicóptero nas proximidades vindo à ilha para levá-la de volta ao hospital psiquiátrico, inadvertidamente, fazem com que a porta do armário lentamente se abra, aparentemente por sua própria vontade. Visto como uma confirmação tangível de suas crenças, Karin espera com alegria, mas ao ver o que está atrás da porta acaba tendo um colapso esquizofrênico. O que ela vê ou acredita que vê não foi revelado, mas o retrato realista da esquizofrenia, combinado com capacidade estelar de Andersen agir, faz esta cena ser bastante perturbadora. O clipe completo está disponível acima.

8. A Última Casa à Esquerda

Mari violentada na floresta

A Última Casa à Esquerda foi recentemente refeito (2009), encaixando a “tortura pornô” as atuais tendências dos filmes de terror de Hollywood. No entanto, este é um dos raros casos em que o filme original de Wes Craven era, na verdade, mais perturbador do que o remake. O filme acompanha duas jovens que são capturadas e torturadas por um grupo de quatro criminosos liderados por um sociopata chamado Krug (David Hess), que foi recentemente solto da prisão. Proibido na época em diversos países, o filme é cheio de sangue e tripas, incluindo imagens de uma estripação, mas a cena escolhida para esta lista é outra, considerada ainda mais psicologicamente perturbadora. Enquanto o resto do seu grupo a segura, Krug esculpe seu nome no peito de Mari (Sandra Cassel), e em seguida brutalmente a estupra. Após o estupro, o grupo permite que Mari se levante e coloque suas roupas novamente. Obviamente, traumatizada e praticamente disfuncional Mari anda desanimada próxima a um rio, onde Krug atira na cabeça dela. Houve inúmeros filmes que mostravam cenas de estupro, mas o que torna esta cena particularmente perturbadora é a atitude do grupo, uma vez que o estupro foi concluído. O público observa em Krug um olhar de pesar sobre suas ações, o que sugere que ele tem vergonha de seu comportamento, mas é incapaz de parar. A única fêmea do grupo, uma mulher chamada Sadie, parece quase entediada, e instintivamente tenta se limpar após o estupro. Isso é combinado com uma trilha sonora maravilhosamente cantada por David A. Hess (que interpreta o próprio Krug), que parece ser completamente inadequada, dado o contexto do que acaba de acontecer. O filme completo está disponível no YouTube pelo link acima, mas esta cena perturbadora ocorre em torno da marca de 49 minutos.

7. Viagens Alucinantes

Sequência da primeira viagem

Neste clássico filme de ficção científica / horror, Edward Jessup (William Hurt) é um professor universitário de psicologia anormal que está obcecado com outros estados de consciência. Jessup viaja ao México para participar de uma cerimônia indígena psicodélica, e depois de tropeçar em uma substância até antão desconhecida, ele acaba levando uma grande quantidade para realizar uma “investigação formal.” Esta cena é a segunda de uma série de “viagens alucinantes” de Jessup, que ocorrem enquanto ele testa a droga dentro de uma câmara de água com privação de oxigênio. Uma tentativa de descrever a cena em detalhes seria inútil, mas vamos apenas dizer que há uma sequência de crucificação breve onde a cabeça de um homem é substituída pela de um carneiro. Cena completa acima.

6. Cassino

Morte de Nicky Santoro

Cassino, filme clássico de um aclamado diretor com um elenco repleto de estrelas, é frequentemente mencionado em listas de filmes. Sam Rothstein (Robert De Niro) é um judeu-americano, apostador profissional, que é chamado pela máfia para supervisionar as operações do dia-a-dia no cassino de Tânger, em Las Vegas. A máfia também envia Nicky Santoro (Joe Pesci) para assegurar que o dinheiro dos Tânger fosse retirado sempre do topo para beneficiar a máfia. Santoro e seu irmão acabam sendo levados para o deserto e assassinados por chefes da máfia. Duas coisas fazem essa cena perturbadora. Primeiro: até este ponto Santoro tinha narrado à maioria do filme, mas nessa ocasião sua narração é cortada no meio da frase, quando ele é atingido por trás com um taco de baseball, e depois é violentamente espancado. Isso é surpreendente para o público, já que contradiz a velha suposição de que qualquer narrador, seja em filmes ou na literatura, deve sobreviver à história. A segunda razão que faz desta uma cena perturbadora é o método usado para matar Santoro e seu irmão. Depois de serem brutalmente espancados a ponto da completa impotência, a máfia deposita seus corpos ainda vivos em valas para serem enterrados no meio do deserto de Nevada. Apesar do personagem de Pesci ser incômodo, é um fim trágico e violento para uma figura que deu um pouco de alívio cômico para o filme. Cena completa acima.

5. Creepshow – Arrepio do Medo

“Indo com a maré”

Creepshow, dirigido por George A. Romero, o famoso diretor da “Noite dos Mortos Vivos”, colaborou com Stephen King neste filme, além de acumular um pequeno (mas divertido) papel na segunda sequência. O filme apresenta cinco histórias de horror em forma de “comic book”, e embora seja intencionalmente exagerado e melodramático, às vezes, no entanto, contém algumas partes de horror verdadeiro. A cena mais assustadora (discutivelmente) do filme é “Indo com a maré”, baseado em um conto escrito por King, feito especialmente para o filme. Nesta sequência, Richard Vickers (Leslie Nielson) realiza uma vingança fria e calculada contra um homem chamado Harry Wentworth (Ted Danson), que vem mantendo um caso amoroso com a esposa de Richard. Richard leva Harry para uma praia próxima, alegando que ele capturou Becky (esposa de Richard) e que ela está em grave perigo. Quando eles chegam, não há sinal de Becky, mas Richard faz com que Harry se enterre até o pescoço na areia com a promessa de que após ter feito isso, ele iria começar a ver Becky. Fiel à sua palavra, uma vez Harry estando completamente preso, Richard revela a ele uma tela de vídeo-streaming ao vivo, com a qual Harry vê que Becky também está enterrada até o pescoço na areia e é capaz de vê-lo na tela de um vídeo semelhante. Preso e totalmente imóvel, Richard calmamente informa Harry que a maré alta em breve irá afogá-lo, e depois sai.

Para qualquer observador que tem o hábito de imaginar-se sujeito às experiências das pessoas em filmes, era uma cena particularmente horrível de assistir, como a revelação lenta do plano que o torna muito mais assustador. Também é preocupante ver Leslie Nielson, um homem famoso por suas performances de comédia assumir um papel como um assassino sádico. Embora a cena completa não esteja disponível, você pode assistir a um clipe curto da sequência no vídeo acima.

4. A Centopeia Humana: Primeira Sequência

Apresentação excessivamente detalhada

Perturbador é praticamente a única forma de descrevê-lo. Dirigido por Tom Six, com a intenção deliberada de criar um filme tão superior e grotescamente chocante, o filme consegue tudo isso a partir da sua premissa. Para quem não está familiarizado com o enredo, um médico alemão louco desenvolve uma obsessão com a ideia de criar uma “centopeia humana”, literalmente costurando seres humanos juntos, um conceito completamente idiota, que ele consegue êxito após sequestrar três vítimas incrivelmente azaradas. As implicações desta cirurgia em termos do trato digestivo são óbvias, mas são demasiadas grosseiras para detalhar aqui, por isso vou deixar isso por conta da sua imaginação. Surpreendentemente, mas talvez devido ao seu conteúdo já profundamente perturbador, os telespectadores têm notado que o filme em si não é particularmente sangrento ou com sangue (o mesmo não pode ser dito para a abominação que é A Centopeia Humana 2: Sequência Completa), mas usa junto a câmera truques e sutilezas para mostrar a “centopeia” pós-operatório. Em vista disso, a cena perturbadora escolhida é aquela em que o médico, lenta e metodicamente explica para as três vítimas o que ele está prestes a fazer com elas, concluindo com diagramas visuais e uma apresentação profissional. Não é necessário dizer que as vítimas não estão nada animadas. Trailer acima.

3. Laranja Mecânica

“Cantando na chuva”

Laranja Mecânica mostra uma Londres futurista, onde as gangues de jovens crescem de forma desenfreada, batendo de frente com a ordem pública, chegado a um impasse virtual. O filme centra-se em um jovem chamado Alex De Large, que é o líder de uma gangue formada por quatro integrantes, cuja atividade noturna consiste em aterrorizar o público, tanto quanto possível. A cena mais frequentemente referenciada envolve Alex, sua gangue e a invasão da casa de um casal de meia-idade, sem nenhuma razão, apenas para provocar o caos geral. Alex bate fortemente no homem enquanto canta e dança o clássico “Dançando na Chuva”, e, em seguida brutalmente estupra a esposa do homem que assiste tudo, e que mais tarde resulta em sua morte. O que é mais perturbador sobre esta cena é a alegria absoluta com que Alex e seus amigos fazem suas tarefas, e o contraste dessa alegria com o terror nos olhos de suas vítimas. Apesar do grande número de “criminosos” que temos em nossas prisões modernas, a sociedade geralmente acaba traçando uma linha entre os crimes que são feitos por necessidade (roubo) e os que são feitos exclusivamente por mero prazer. É por esta razão que esta cena é tão chocante – a terrível violência e o estupro são apenas vistos por Alex e seu grupo como um passeio típico noturno.

2. Amargo Pesadelo

“Guinchar como um porco”

No mundo acadêmico, Amargo Pesadelo é muitas vezes visto como uma crítica sutil da introdução da industrialização indesejada no Sul rural, mas para a maioria dos homens, ele é lembrado por uma razão completamente diferente. A trama segue quatro empresários de Atlanta que decidem ter um tranquilo passeio de canoa no deserto remoto da Geórgia. Esperando diversão e aventura, mas ao invés disso encontraram um clima hostil, caipiras puros que não acolhem a invasão de seu território e não apreciam condescendência dos homens para com eles. Numa cena infame que qualificou o filme para esta lista, um caipira força Bobby (Ned Beatty) a se despir na floresta, em seguida, humilha e brutalmente o sodomiza enquanto o instrui a “gritar como um porco.” Apesar de estupro do sexo feminino ter sido representado inúmeras vezes no filme, a inclusão de uma cena de estupro do sexo masculino foi muito mais chocante por ser um assunto “tabu”, como estupro masculino e homossexualidade em geral, têm prendido por muito tempo um estigma ainda maior da sociedade. Assim, esta é uma cena que fez os homens se contorcerem desde que o filme saiu, e é uma das principais razões pelas quais o filme é lembrado hoje. A cena também é memorável pela reação, bastante indiferente de John Voight para com o estupro, o que acrescenta um elemento de alívio cômico.

1. O Massacre da Serra Elétrica

Kirk é arrastado para uma sala

O Massacre da Serra Elétrica, com suas sequências incontáveis, prequels, e remakes, é um grampo bem conhecido do gênero de horror, porém a maioria dos filmes jamais superou o original. Os filmes modernos da TCM geralmente giram em torno de sangue e tripas, e enquanto o original tinha um pouco disso também (mas em menor grau), o primeiro é um exemplo clássico de como a sutileza pode ser mais eficaz do que o sangue. Kirk, um dos cinco adolescentes infelizes cujo carro quebra em uma viagem, é o primeiro a ser morto pelo infame “Leatherface”. Vagando na casa em busca de ajuda ou de um telefone, ele percebe uma porta aberta no final de uma sala que revela uma parede vermelha cravejada com o que parecem ser ossos e outros objetos ritualísticos. Kirk, com muita curiosidade, continua até o corredor, onde de repente aparece Leatherface, batendo-o no lado da cabeça com um martelo. Kirk é reduzido a um tremor / espasmos em massa no chão, ele é arrastado para o quarto vermelho por Leatherface, que bate a porta bruscamente atrás dele. Kirk nunca mais foi visto depois disso. Esta cena funciona em um nível psicológico. Primeiro de tudo, a sua rapidez pega o espectador de surpresa. Quem assiste a um filme chamado “O Massacre da Serra Elétrica” percebe que haverá violência e acompanha de forma mais atenta e prevenida, mas a entrada de Leatherface é tão brusca, que é verdadeiramente assustador. Em segundo lugar, a cena funciona porque não nos mostra exatamente o que acontece, deixando nossas mentes fazer o resto do trabalho. Horrores inimagináveis estão por trás da porta trancada, e são facilmente convencidos de que o destino de Kirk é praticamente a pior coisa que poderia acontecer com você ao andar na casa de um estranho. Estas características como um todo tornam esta uma cena memorável. Vídeo completo acima.

This list provided by ListVerse.com

Adaptação / Tradução autorizada por ListVerse.com




11 comentários

Adicione o seu
  1. Janerson

    Primeira vez no site e me permitindo dar pitaco no 3º, 2º e 1º respectivamente.

    – Realmente, para Alex, agressão, furtos e sexo era nada mais do que simples e pura diversão de jovens transgressores. Talvez soe estranho o fato de uma música inocente embalar esses atos.

    – Ao personagem de Jon Voight não sobrou alternativas ao ver seu amigo ser estuprado uma vez que ele estava amarrado, ameaçado com uma arma e seria o próximo a ter sua dignidade destruída. Até fez um tímido movimento no início da cena, mas não restou maneiras para ir além disso.

    – O Massacre da Serra Elétrica se destacou justamente por isso: fugir dos sustos fáceis, deixando a imaginação fluir, fazendo pensar nos inúmeros tipos de morte que aqueles jovens teriam.

    Abraço.

  2. Marcos Punch

    A cena de “Deliverance” (Amargo Pesadelo) é nojenta e agonizante de ser assistida!!! O Gordinho sendo estuprado, e ainda tendo que Guinchar que nem Porco, é Bizarro demais!!! Esse site é muito bom!!!


Postar um novo comentário