Epic Games denuncia SOPA

Epic Games denuncia SOPA

[social_share/]

Epic Games denuncia SOPA

A Epic Games, desenvolvedora da série Gears of War, assumiu sua posição contrária a SOPA. A Epic é um membro da ESA. “A Epic Games apoia os esforços para fazer com que sites estrangeiros parem de lucrar com a pirataria de nossos jogos, mas temos que fazer isso de uma maneira que seja compatível com a liberdade de expressão e do devido processo legal”, escreveu Dana Cowley, gerente de relações públicas sênior da Epic, no fórum da Epic. “Assim, não apoiamos a versão atual do SOPA”.

Influência sobre os brasileiros

Desde que a internet se tornou popular nos anos 90, muito se fala sobre a “terra de ninguém” que a rede parece ser, em uma cultura de constante desrespeito à propriedade intelectual e aos direitos reservados – daí a urgência de uma resolução ter gerado uma proposta tão radical. A rapidez da aceitação da Sopa na Câmara gerou, por outro lado, a resposta imediata da oposição, que, por menos responsável que seja pela pirataria, tem se mostrado negligente ao fazer pouco ou nada para impedi-la em seus servidores.

Para o usuário brasileiro, a aprovação da lei poderia implicar em duas situações. Uma delas é o desaparecimento de sites e redes sociais que teriam suas portas fechadas, ao serem bloqueadas nos Estados Unidos – o país de onde vem a maior parte de sua renda. A segunda é a aceitação da comunidade internacional que se espelha nos país quando o assunto é internet, o que poderia gerar medidas semelhantes em vários cantos do mundo e, talvez, no Brasil também.

A velocidade com que tudo tem acontecido mostra que em breve teremos um veredicto na questão. Caso a Sopa seja aprovada, veremos a tentativa de adaptação e sobrevivência dos sites americanos dentro das novas regras. Se ela for negada, a indústria do entretenimento nos EUA (ou seja, a Hollywood dos filmes, música e TV) terá sofrido mais uma derrota e precisará arrumar outra forma para combater seus prejuízos.

Enquanto isso, a produção deverá ser diminuída ou até mesmo interrompida temporariamente. Alguém se lembra da greve dos roteiristas em 2007? Eles estavam protestando justamente por não serem pagos pelas exibições na rede, deixando na mão o próprio público que não quis pagar pelas obras e optou pela pirataria. 

[social_share/]




Não há comentários

Adicione o seu